Saúde Mental e economia solidária: pesquisa cartográfica em um dispositivo clínico-político

Ariadna Patricia Estevez Alvarez, Cláudia Elizabeth Abbês Baêta Neves, Claudia Osorio da Silva

Resumo


Este artigo se propõe a refletir sobre o encontro entre as políticas de saúde mental e de economia solidária tomando uma experiência de campo de uma pesquisa de mestrado em uma oficina de trabalho e geração de renda. O método da pesquisa utilizado foi a cartografia, através da qual se acompanhou semanalmente um grupo na rede pública de saúde mental do município de Niterói, no Estado do Rio de Janeiro, por um período de um ano. O estudo buscou investigar que processos de trabalho e produção de saúde são ativados na oficina. E neste artigo, problematizou-se se ela se configuraria como um dispositivo clínico-político. Apontou-se que a geração de renda, a produção de saúde, o processo de trabalho, a atividade e a clínica são cinco dos principais vetores que atravessam um campo comum: a oficina. Os riscos e as potências que cada um destes vetores traz, assim como algumas das intervenções da pesquisa, são apresentados neste artigo. 


Palavras-chave


Saúde Mental; Economia Solidária; Dispositivo Clínico-político; Oficina.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Endereço postal

Departamento de Saúde Pública/Centro de Ciências da Saúde/UFSC

CEP: 88040-970

FLORIANÓPOLIS-SC

E-mail: cbsm.abrasme@gmail.com

Telefone: (48) 3721-9388
Fax: (48) 3721-9388

 

 

Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/ Brazilian Journal of Mental Health ISSN 1984-2147, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.